Educar para o senso crítico por Patrícia Resende

Educar para o senso crítico por Patrícia Resende

As notícias falsas, mais conhecidas como fake news, ganharam bastante destaque nos tempos atuais. Embora mentiras e boatos não sejam algo recente, a internet e as redes sociais impulsionaram a propagação de mensagens enganosas, o que faz crescer a necessidade de educar para a comunicação em rede e para o senso crítico.

Cada um de nós, antes de repassar qualquer mensagem, deve ter o cuidado de verificar se o conteúdo é verdadeiro. Como fazer isso? Observando a fonte do texto, a data em que foi publicado e se vem acompanhado de dados precisos que comprovem o que é dito. Vale ainda considerar: é útil? Há certeza? Fala bem? Se uma dessas perguntas tiver resposta negativa, melhor não repassar.

Quando desenvolvemos o senso crítico diante das milhares de informações que recebemos não nos tornamos vetores de informações falsas.  A busca pela verdade deve ser um hábito. Como pais, devemos educar nossos filhos nesse sentido. Mostrar que não podemos acreditar em tudo que lemos ou ouvimos e que sempre há vários pontos de vista sobre um mesmo assunto.

Em países como a Finlândia, o combate às fake news também se aprende na escola. Dependendo da idade, os alunos assistem em sala de aula a telejornais feitos para crianças. A primeira lição é que toda notícia séria precisa ter mais de uma perspectiva. Os professores, nesse contexto, estimulam o debate. Assim, os alunos desenvolvem a capacidade de questionar e de analisar de forma crítica os acontecimentos da vida em sociedade.



Patrícia Resende é mãe da aluna do 2nd Grade Leticia Resende Nascimento. É jornalista e servidora pública. Mestre em Comunicação e Saúde pela Coventry University (Reino Unido)

Voltar